sábado, 14 de junho de 2008

Pra quando 2011 chegar

Notícia fresquinha na página do UOL: “apenas 18 senadores da base governista são favoráveis á criação da CSS”. Pra quem já esqueceu (brasileiro tem memória fraca) CSS é a CPMF, só que deixa de ser provisória. Em outras palavras: a CSS é a CPMF sem cuspe. E é bom nem reclamar, senão passam cerol e xingam a gente de “elite”.
Não custa nada perguntar: esses tais “senadores da base governista” não foram os mesmos que se declararam favoráveis a cassação de Renan Calheiros e depois o absolveram em votação secreta? Outra perguntinha inútil: se existe assim tanta predisposição do Senado em não aprovar mais esse imposto, por que a votação foi marcada somente para depois das eleições de outubro?
Eu, como nunca acreditei em duende, papai Noel, gnomo e palavra de político, já iniciei meus preparativos para dar mais esta modesta contribuição para o nosso belo quadro social. Com a ajuda de Deus, do cheque especial e de um agiota camarada que conheço acolá, sobreviverei a 2009. No final do ano, pagarei os juros do banco com meu décimo terceiro (se nosso augusto e imaculado senado não acabar com ele, é claro). Depois eu vendo um rim, pago o agiota e mergulho de cara em 2010 sem um puto, trazendo numa das mãos as listas de material escolar de minhas filhas e, na outra, o carnê do IPTU, que a prefeitura me cobra para manter os buracos da minha rua sempre limpinhos, os postes apagados pra evitar ajuntamento de mariposa e potó e os redutores de velocidade sempre alerta e me multando quando eu passo a 45 por hora. Por falar nisso, esses redutores, no lugar de diminuírem a velocidade dos carros, só tem conseguido reduzir até agora a conta bancária dos otários. A cada dia aumenta a violência no trânsito e a conta da prefeitura. Isso é bom: dinheiro em caixa pra campanha que tá aí em cima.
O que me preocupa mesmo é 2011. Vai que a moda pega e o governo, depois da aclamação de Lula como Defensor Perpétuo do Brasil, em novembro de 2010, inventa de criar a CSCCV (Contribuição Social de Combate à Criminalidade e à Violência), a CSFE (Contribuição Social de Fomento à Educação) e a CSPPTP (Contribuição Social para a Perpetuação do PT no Poder). Não vai dar pra mim. Fiz até os cálculos e tudo: já trabalho, em média, 14 horas por dia e dou aulas aos sábados e domingos; aumentando patrioticamente a jornada diária pra 18 horas e arrumando um bico de madrugada, talvez nem dê pro IPTU, com o preço do pão do jeito que está aumentando. Minhas filhas já avisaram que leite aguado ainda desce, mas sem Nescau elas não tomam nem a pau; o cachorro me olhou meio estranho quando me pegou desembarcando as compras do mês e não viu o saco de ração dele; não satisfeito, o filho duma cachorra ainda rosnou pra mim na hora em que desembrulhei um pacote de massa de milho Sinhá.
Ô animal incompreensível e desumano (tô me referindo ao meu cachorro, e não aos nobres deputados que aprovaram a tal da CSS, muito menos aos senadores que irão aprová-la em novembro).

Quem tá certo é o Danilo Damásio, que resumiu a situação atual brasileira numa nota que me deu aqui uma inveja danada. Já que todo mundo rouba no Brasil, vou roubar aqui sua nota, Danilo.
Tirando o couro
Pela internet circula de tudo. Agora estão criando um manifesto contra o Ibama do Romildo Mafra. Eles perseguem os que fazem bolsas com couro de cobra e com couro de quiba de jacaré. Mas não ligam para o Bolsa Família, feito com o couro da classe media brasileira. (Danilo Damásio)

2 comentários:

Vivianne disse...

Realmente o trecho de Danilo Damásio merece a minha admiração, mas o seu texto, Marcos, não fica nem um pouco atrás!
Você passou neste texto a indignação do brasileiro que não se esquece das falcatruas da maioria dos nossos políticos. Devemos, então, fazer com que esta indignação chegue a se transformar numa revolta!
Abraço.

Danilo disse...

Ai mais i ééééé´??? Eu é que vou roubar o que tú escreve pra tu largar de ser escritor.
Abraços

Danilo Damasio